lightbulb box MAMUSHKA!

Não, não é a dança ritual da Família Adams, que foi ensinada pelos seus primos Cossacos e permaneceu como tradição na família Adams desde… só Deus sabe quando. Mas como esse filme é um clássico, resolvi incorporar o vídeo da MAMUSHKA! Posso dizer seguramente que é um épico que marcou minha época! Já não fazem mais filmes bons como antigamente…

Além de ser uma dança tradicional da Família Adams, a MAMUSHKA faz parte da cultura Russa.

“A boneca russa Matryoshka (Matrioshka), (também conhecida como Mamushka) ou “boneca russa” na verdade é um conjunto de bonecas ocas de tamanhos decrescentes colocadas uma dentro de outra. A história da Matryoshka não é muito antiga, pois tem pouco mais de um século. Considera-se que as Matryoshkas surgiram nos anos 90 do século 19, e o primeiro torneiro que criou a forma foi um homem com sobrenome Zvezdochkin e o primeiro homem quem desenhou o rosto e os trajes era o Sergei Maliutin, que trabalhava como pintor numa oficina de artesanatos no povoado de Abramtsevo que pertencia a um famoso industrial russo Savva Mamontov.  Em 1900, a esposa de Savva Mamontov, levou as bonecas para serem apresentadas na Exibição Mundial em Paris e este brinquedo ganhou uma medalha de bronze. Logo, muitos outros lugares em Rússia começaram confeccionar Matryoshkas.

Artistas modernos criam muitos novos estilos de Matryoshkas. Temas comuns incluem coleções de animais, retratos e caricatura de políticos famosos, músicos e estrelas populares de filme, natureza da Rússia ou cartões postais das cidades como Moscou.”

Agora veja a minha MAMUSHKA:





E esse foi mais um speed project concluído em aproximadamente 1h incluindo as fotos e o post!

  • Fontes:

http://aprender-russo-online.blogspot.com/2009/02/historiaorigemmatrioshkamamushka.html
http://en.wikipedia.org/wiki/Matryoshka_doll
http://fc07.deviantart.net/fs70/f/2010/134/d/1/Mamushka_01_by_danielherbon.jpg

Palestra – Centro Empresarial Itaú

A palestra Gambiológica no Itaú Unibanco Centro Empresarial em SP foi uma beleza! Tivemos 55 inscritos e em pouco tempo as vagas se esgotaram. Fomos muito bem tratados e todos ficamos satisfeitos com o resultado final. A proposta era a construção de um objeto gambiológico durante a palestra. Chamamos isso de speed project, ou projeto rápido. Em uma hora e meia de palestra, nos alternamos entre falar e construir o objeto, montamos uma luminária usando como base um drive de disquete 5,25 polegadas. Esse drive é hoje obsoleto, e considerado um lixo tecnológico, que por coincidência, era da Itautec! Nós o devolvemos para o destino de origem, completamente transformado e gambiologizado. Agora, além de seu preço inestimável, ele tem utilidade, como luminária com dois tipos de lâmpadas, E14 e E27, LED´s e um amplificador para MP3 usando o TDA7052.

2xCOMBO! Coincidência Industrial DIY

Essa coincidência industrial da tampa de camisinha/isopor de cerveja com o “porta-lâmpada E-27” foi descoberta por mim, enquanto procurava alguma ideia para uma luminária, no meio de minhas sucatas. Eu a utilizava principalmente com a opalina escadinha, que encaixa perfeitamente, na tampa de cerveja. Mas descobri que o porta lâmpada incandescente se encaixa perfeitamente também!

O correto então seria Double 2X COMBO! Coincidência Industrial!! Pela opalina e pela lâmpada!

Coincidência que foi parar em SP, incorporada numa peça Gambiológica Autêntica, que agora encontra-se no Centro de Inovação do Itaú Unibanco.

Opalina azul

Opalina azul antiga adquirida em São Paulo e transformada numa luminária de teto. Esta ideia pôde ser concretizada depois de muita procura por uma coincidência industrial: a peça metálica encaixada no furo da opalina, de onde sai o fio. Esta foi vendida, mas ainda tenho duas opalinas iguais, e não tenho mais peças metálicas… terei que achar outras coincidências para fazer mais duas!

Luminária: “Padrão”

Padrão” é o nome próprio dessa luminária que foi inspirada e produzida dentro do tema “Coincidência Industrial”. Veja na foto que não existem parafusos para segurar o globo bolinha; esse sistema foi criado por mim e basta soltar apenas uma porca no topo para retirar o vidro. O nome da luminária veio dos dois pratos de alumínio que se encaixam no globo: são usados como acabamento, tampando o topo do cano do padrão de luz, aquele poste de aço com fios que tem nas casas. O fio usado é cabo PP preto e o interruptor laranja torna a iluminação independente das outras.

Caixa de pequenos fragmentos

Essa luminária é feita com uma caixa cirúrgica de aço inox que já possui furos que coincidem com o LED de 5mm.  A luminária roxa (uv) abaixo encontra-se na casa do Ganso. Tem uma versão com led´s azuis no “bar do Ganso” que fica dentro do Museu Inhotim e outras espalhadas por aí (foram feitas 7 até esta data).